Nachtcafe

Thursday, October 05, 2006

La e ca...


Angela Merkel e Horst Koehler, primeira-ministra e presidente, respectivamente

Como havia escrito no post anterior, a parada no Dia da Reunificacao nao teve nenhuma referencia militar, talvez com excecao dos soldados-com-chapeu-escova abaixo. O fato e que qualquer referencia nacionalista, ou pior, de carater belico, ainda causa desconforto por aqui. Mesmo as geracoes mais novas parecem continuar digladiando com fantasmas do passado.

Esses fatos me fizeram pensar nas contradicoes que vivemos no nosso pais, principalmente com respeito a "amnesia" que nos abate de tempos em tempos. Roberto Jefferson aclamado pelo povo durante a votacao? Maluf e Collor ressucitados no Congresso? Mensaleiros revigorados pelo resultados das urnas? Dificil dizer se se trata de memoria curta ou nao. Tem coisas que sao dificeis de explicar...


Exercito da faxina?


Pelotao carnavalesco



Abobora gigante, para nao dizerem que so falo "abobrinha"... :)

3 de outubro - Dia da Reunificacao da Alemanha


Mapa da area de eventos do Dia da Reunificacao

Desde a queda do Muro de Berlim, em 1989, todos os anos e celebrado o Dia da Reunificacao da Alemanha em 3 de outubro, sempre em uma cidade diferente. Felizmente, para nossa sorte, desta vez Kiel foi escolhida como a sede oficial neste ano.

Como toda tradicao "inventada" (a la Hobsbawn), ainda vai levar algum tempo ara o Dia da Reunificacao se consolidar. Diferentemente de outros paises, existem poucas referencias civicas, com excecao da bandeira alema por toda parte. Mesmo a parada parecia mais desfile de carnaval do que qualquer outra coisa. Nada de tiros de canhoes ou cacas sobrevoando a regiao (ver cometarios no proximo texto).



Jenny e o picles do filme "Adeus Lenin"


Tentacoes gastronomicas

A festa toda foi muito bonita, com diversas atividades que aconteceram simultaneamente entre apresentacoes musicais, comidas tipicas e barracas para todos os gostos. Tudo muito simples e eficiente, bem ao estilo alemao. Infelizmente nao pudemos ficar muito tempo, por causa da prova no dia seguinte as festividades.


Alvorecer no Hoerstkai

Casal 20

Nesta semana acabamos o modulo de politica fiscal e monetaria da Uniao Europeia. O curso foi dado por dois professores: Willem Buiter, da London School of Economics, e Anne Sibert, do Birbeck College, da Universidade de Londres. Alem de interesses academicos, eles tem muito mais coisas em comum. Inclusive compartilham o mesmo teto. Dai a referencia ao antigo seriado dos anos 80.

Buiter e um caso interessante de academico e "policymaker". Sua passagem por centros renomados como Yale, Cambridge e LSE tem se dado paralelamente a suas atividades no Banco Europeu de Reconstrucao e Desenvolvimento, onde e economista chefe, sua atuacao no conselho de politica monetaria na Inglaterra, notoria por suas posicoes nao convencionais. O curso em si foi um pouco confuso, mas algumas ideias apresentadas sao bastante interessantes.

Por exemplo, um dos principais temas no velho continente e o "Pacto de Estabilidade e Crescimento"- tamben conhecido como "O Pacto" - uma serie de pre-condicoes que precisam ser atingidas para que os paises do leste europeu possam se integrar a Eurozona. Os criterios sao bastante rigidos e dizem respeito ao nivel de endividamento e deficit fiscal que devem ser mantidos pela Eslovaquia, Hungria e outros postulantes ao acesso. Buiter acredita que as condicoes estabelecidas pelo "Pacto"nao sejam adequadas porque contem regras estaticas e nao levam em consideracao perspectivas de endividamentos futuros (por conta de possiveis aumentos de gastos com a previdencia, por exemplo) ou taxas diferenciadas de crecimento (paises cujo PIB cresce mais rapido poderiam contrair maiores dividas no curto prazo).

Como em muitos casais, Buiter e Sibert sao metades simetricas, pelo menos no que se refere a clareza de suas exposicoes. A falta de organizacao do primeiro contrasta com a clareza e didatica da "metade superior da familia", nas palavras do proprio Buiter.

A profa. Sibert abordou diversos temas relativos a politica monetaria na UE. Talvez o mais interessante deles tenha sido a pesquisa que ela tem desenvolvido sobre a dinamica dos comites de politica monetaria baseada em teorias de psicologia social. Dentre as questoes levantadas estao: grupos sao mais eficientes do que individuos na tomada de decisoes? Qual o tamanho ideal de um comite? Como promover o melhor arranjo institucional dos comites de politica monetaria? Alias, ela propria faz parte do "comite sombra" ("shadow committee") do Banco Central Europeu, cujas deliberacoes servem como parametro de comparacao do comite "oficial".